Você que me lê, me ajuda a nascer.

sábado, abril 16, 2016

Palavras.

A paixão é uma arte que deixa os sentidos um tanto quanto perturbados. Eu acho. Eu não acredito nessa história de primeiro paixão e depois amor. Sempre achei que essas coisas se misturassem. Eu o amo quando a gente está no cinema vendo um filme e me apaixono por ele quando faz massagem no meu pé no meio do filme. Quando me pede para deixar a perna em cima da dele, eu o amo de novo. Depois me apaixono quando ele me ouve por alguns minutos (leia-se muitos minutos) falando descontroladamente sobre o mesmo assunto do encontro anterior.
Eu o amo quando ele repete coisas que já disse, para confirmar os sentimentos dele por mim e me apaixono quando ele diz que gosta do jeito que eu faço as coisas mais simples, comer acarajé e lamber os dedos.
Paixão e amor, palavras? São nomes para classificar essas sensações todas que me fazem bem. Eu quero ficar com ele, viver junto, ter mais conversas (porque com ele eu acredito que é possível mudar o mundo conversando! Essa sensação é tão gostosa e nos dá força pra continuar!), ter crianças, uma casa, um carro, uma vida. 
Quero, principalmente, ele. Pra me ter também. 


Nenhum comentário: