Você que me lê, me ajuda a nascer.

quarta-feira, julho 29, 2015

Meu número.

Ele foi meu último pensamento ontem à noite e o primeiro na manhã de hoje.
Aí descobri que eu queria mesmo ter passado todo esse tempo com ele.
Sei lá porque.
E nem quero saber.
Só gosto e quero mais.
Só falo e sorrio mais depois que ele chegou.

A gente se abraça e ele me diz eu gosto muito de você.
Eu digo eu também eu gosto muito de você.
E ele continua o abraço e diz eu também.
E não para não para não para.

Só para para me ouvir dizer para
Mas fica aqui
Aperta forte minha mão
Repete que tá apaixonado muitas vezes
Muitas vezes
Muitas vezes

domingo, julho 26, 2015

Empatia (quase dor).

Foi quando ele disse que olhou no meu olho e viu que eu também senti a mesma dor que ele sentiu que eu comecei a chorar.
E meu pai Oxalá veio e levou toda a dor que sentimos juntos.

quinta-feira, julho 23, 2015

Decote.

Estava num show com tantas gentes. E a música o som a percussão a luz a sombra e minha cabeça pensando nele. Meu corpo lembrando dele. E foi quando senti um frio na parte das costas em que havia uma fenda no vestido que pensei que, se ele estivesse ali, estaria bem naquela hora deslizando a mão deliciosamente no meu decote, sem nenhum decoro (mas com muita discrição).

Senti vontade dele enfim. 

quinta-feira, julho 16, 2015

(postagem sem título)

Novos sentimentos. Corpos velhos.
Sensações estranhas em coisas que já fiz várias vezes misturadas com umas que nem tanto.
O que é?
Não sei. Estou na dúvida entre estar apaixonada ou desconfiada.
Mas ele me beija na hora certa do sorriso e me abraça quando eu penso que não.

Ele sabe.

Ele faz certinho. Mas ele não faz pra fazer certo. Ele só faz e eu acho certinho (é por isso que pode ser paixão).
E quando acorda de bico e eu falando como se nem tivesse dormido.
E quando me avisa que tem defeitos e lista todos.
Eu realmente não sei onde isso vai parar.

Mr. Dynamite - The rise of James Brown.


sexta-feira, julho 10, 2015

Crianças negras (produção acadêmica).

Escrevi um texto, saiu aqui:

http://www.unesp.br/portal#!/debate-academico/producoes-academicas-sobre-criancas-negras/

Foto: Wilson Souza, Lar Santa Madalena - Luanda, Angola.

Um segredo.

Eu queria ter pra ele a melhor Migh.
Porque ele merece.
Só porque me faz acreditar de novo.
Mas ela parece ter sumido.
Ainda assim ele está aqui.