Você que me lê, me ajuda a nascer.

terça-feira, março 17, 2015

Dizer.

Eu queria dizer, dizer coisas.
Que eu não tranço mais o cabelo faz um tempo, e eu queria ter você aqui me fazendo cafuné, aquele cafuné que você reclamava não fazer direito quando o cabelo tinha tranças (muito embora minhas melhores fotos de cabelo trançado foi você quem tirou...).
Eu queria fazer coisas, fazer coisas.
Coisa de amor, coisa de ficar junto conversando e rindo, falando do presente e lembrando do que a gente falava do futuro.

Eu queria sentir coisas.
Sua respiração pesada, seu sono que não vinha mesmo quando estavas cansado, seu olhar baixo que me olhava, suas lágrimas, suas mãos, suas lentes e suas fotografias (que eu tinha ciúme como se fossem minhas).
Eu queria ver coisas, ver coisas.
Ver seu rosto, seu corpo, ver você e eu juntos de novo.

6 comentários:

Anônimo disse...

Acompanho esse seu amor tem tempo.
Por onde ele anda?
Por que não tentam viver essa coisa bonita de vocês?

Migh Danae. disse...

Ele está bem perto. Mas o tempo passou e não me esperou. Nem ele.

Anônimo disse...

Mas pode ele está perto, sem ter esperado por você?

Migh Danae. disse...

Pode. É o que aconteceu.

Anônimo disse...

Te desejo sorte nessa jornada!

Migh Danae. disse...

Seria bom saber quem você é.