Você que me lê, me ajuda a nascer.

quinta-feira, março 27, 2014

Conversa.

Eu disse:
Tudo bem você não falar, só fala que não quer falar.
E ele: 
Tudo bem você falar que só quer ouvir que eu não quero falar, mas eu quero falar. 

E falamos.

E ele diz:
Temos tão pouco tempo juntos, que eu não quero falar sobre todos coisas. Eu também quero só ficar olhando você. 
E eu digo:
Quando você me olha, eu sei que tem alguma coisa. Mas, tudo bem você não falar...

E voltou tudo de novo. 
E eu adoro viver junto.

segunda-feira, março 24, 2014

Muitas coisas para se dizer.


Insônia.

Eu nem consigo dormir. Porque é meu corpo que sente. O corpo é receptáculo de montes de vontades e nele eu consigo provar meus erros e descobrir. Descobrir. Há alguns dias venho experimentando sentimentos que parecem contraditórios. Paixão, liberdade. Jeitos velhos e sensações novas. Tudo perto de explodir aqui dentro. 
Ainda não sei bem como começou, acho que ainda está começando. Todos os dias em que acontece, as energias e as intensidades me fazem ainda mais esperançosa de um novo mundo. Medo? Não. Gosto da entrega, do desafio, do desejo. Quero gostar, gosto da poesia e do gostar mesmo. Aquele que acorda junto de cabelo amassado. Que te faz sentir tesão no fim da quinta-feira. E te faz fazer amor como se fosse de manhã cedinho. 
Depois disso tudo, ainda tem mais coisas. Como "desculpe, eu deveria estar contigo naquele dia quando você precisou", tem isso de saber a hora certa de parar de sorrir e me beijar. De me olhar inspirando sonho bom. De saber o ritmo, a pressão, o jeito, tudo muito certo, sem perguntar (e quando você pergunta, te diz que é "normal" saber de você, porque todo dia ele observa e aprende como eu sinto). De me descobrir bonita e desejada de novo. De entender dentro de mim que quando é uma relação, um problema nunca vai ser só meu. Livre para me sentir bem e feliz. Com minha cabeça, pele, cabelo e sorriso.
Inteligência no olhar, na palavra, corpo e cabeça. É demais pra mim.
Nós. Amarrados pelos sentimentos.

segunda-feira, março 10, 2014

sexta-feira, março 07, 2014

Souleymane.



Me diz se não é pra ficar feliz. Souleymane, o mocinho da foto, vive perguntando pra mãe de mim:
Porque as pessoas legais vão embora, mãe?




Eu não preciso de mais nada. Mesmo.

quinta-feira, março 06, 2014

Wonderful life.

Me disseram assim
amor não rima com medo
Parece que ele ouviu, porque ele vem aí. 
Ou melhor, aqui. 


Deixo vocês com Estelle, boa companhia. 

Pose.

Ando amostrada. Um bichinho chamado felicidade faz cócegas na minha barriga.




Just fine.


Ele vira pra mim e diz: Porque você não ouve Mary J. Blige? Agora eu entendi tudo.

segunda-feira, março 03, 2014

Eu, turbante.



Testando novas possibilidades com velhos panos. A parte mais legal é que nunca fica a mesma coisa.
Essa também é a parte mais legal da vida: nunca é a mesma coisa, amores, coisas, pessoas, filmes e sentimentos.

Maria Bethania ou sobre a arte de sentir a música.

Se você chegasse agora, não ia me encontrar chorando.
Mas o luarão lá fora sabe que a saudade anda me matando.

Quem inventou coisas para falar de amor? É só deixar ele chegar que ele vem. Sem muita força, sem parecer especial. E muda tudo que você pensou ter certeza.
Mas, talvez essa não seja a maior surpresa.
É a força que ele tem de te fazer sempre recomeçar.
Há sempre gentes que valem a pena.

domingo, março 02, 2014

Propaganda.

Vi no mural da faculdade uma propaganda para serviços de lavanderia, feitos por uma senhora:

Deixamos suas roupas igualzinho como era na casa da mamãe

Impossível não achar perfeito. Para o público a que se destina, vai atrair muita clientela.

Toca Macumba, João.


Vocês pensam que sabem tocar? Tsc, tsc.
Em tempo: meu sonho é ver um show de Orkestra Rumpilezz e Márcio Vitor. Isso mesmo, aquele do Psirico. 

Kuduro.


Vocês acham que sabem dançar?  Tsc, tsc.

sábado, março 01, 2014

Lunchbox.


Amor são umas pessoas.

Está tudo calmo. Aqui dentro. Lá fora, chove. Não só aqui, na casa de mainha e onde tá ele também.
Mas, tudo bem.
Está tudo calmo.
Yoga, amizade, conversas e comidas orgânicas.
Eu tou bem,