Você que me lê, me ajuda a nascer.

segunda-feira, outubro 08, 2012

Curva.



Quando ele me disse

Sabe, eu acho que eu não deveria dizer isso mas... eu pensei em você a noite inteira e hoje pela manhã, quando acordei. É uma loucura.

Estava no ônibus, passando pela praia da Ondina, fiquei parada, coração na boca, aquela curva e eu ali, querendo descer para lavar o rosto e alma na água salgada, chorar talvez. Porque eu também acho que ele não deveria ter dito, mas, depois que disse, só o que eu queria ouvir de novo era aquela frase.

De novo e de novo.

Ainda agora, escrevo essas palavras e as deixo registrada para reler de novo e de novo, pra quando me bater a vontade da sensação daquela curva e das palavras que ele disse. Das palavras e da sensação que a voz dele me dá, uma força como a natureza, grande, envolvente, vem e me enche de energia, sorrisos, surpresas. Coisas que a gente não sente com todo mundo nem com muita gente e, quando sente, quer mais e sempre.

E não está errado querer ser feliz, não. Eu não vou ficar justificando minha alegria para o mundo, se posso ou não estar feliz agora, por essas pequenas coisas. Às vezes, pessoas que chegam na nossa vida, assim, de supetão, nos dão tanto, tanto ou mais do que outras que estão aqui desde que a gente nasceu. Vai entender.

Eu, de minha parte, paro de entender para sentir. E estou feliz. De olhos abertos ou fechados, penso nele e é simples assim.

Simples assim.

2 comentários:

Hanayrá Negreiros disse...

Ai Migh, gosto tanto das coisas escritas por você, que gostaria que as palavras tivessem saído de mim ♥

Migh Danae. disse...

Meu amor, minhas palavras são tuas também, preta que és, pretas que somos. Ainda vai sangrar muito desse coração, na hora do banho uma poesia veio, preciso escrevê-la. Eu apaixonada sou isso aí.