Você que me lê, me ajuda a nascer.

sexta-feira, janeiro 20, 2012

Mulher.

Me olho no espelho.
Aprumo as rusgas
Nem rusgas tenho.
Tenho fadigas.
Ele vem, fica ao meu lado
Comenta da menina que passa ali ao lado
Sorri (para ela, para mim?)
Eu nem sei se ele lembra
Estamos juntos
Ele entende errado
Mas quando se compram plantas juntos
Uma coisa inicia
Mas eu digo nada
A palavra na melodia
dia
dia
dia
Orisa Sango eu tenho
Na veia no sangue na mente
Ele entende
Finge nem entender
Eu espero
Roupas e rumores
oromimaoromimayo

3 comentários:

Anônimo disse...

tem uma parte de mim que entendeu uma parte dela... vou pegar esta poesia e usar dia-a-dia, vou cantá-la

Anônimo disse...

cristina.

Migh Danae. disse...

Use e abuse! Botando meu nome... eheheh!