Você que me lê, me ajuda a nascer.

quarta-feira, outubro 12, 2011

Poetic Justice (Sem Medo no Coração).

A vida é engraçada. Eu estava aqui procurando o tal filme Poetic Justice para comprar e descobri que estava esgotado no fornecedor a versão em português. Seria fácil encontrar o DVD' em inglês, mas sem legendas e eu teria que ter um DVD' player destravado.
Enfim... arrumando minhas fitas K-7 (sim, eu tenho fitas K-7! Lembro que conheci um cara que me disse que ter fitas K-7 era possível sim, bastando para isso se ocupar de limpá-las vez por outra, ocupando-se também de limpar o vídeo. O que pega é que atualmente é bem difícil encontrar aquelas fitinhas de limpar cabeçotes de vídeos K-7, lembram?) dei de cara, na primeira fileira com o tal filme, Sem Medo no Coração. Nem acreditei direito, porque nem lembrava que um dia na vida havia comprado uma cópia em fita... lembro-me que tempos atrás, a locadora perto da casa de mainha estava liquidando fitas K-7 por um real e eu comprei todos os black movies que tinham lá e que eu ainda não tinha. Imagino que foi por essa época. Acabei dando de cara com outros filmes que nem lembrava que tinha mais!
Finalmente, consigo limpar a fita e o vídeo e o som está aqui, indo devagarzinho... comecei a assistir esse filme na internet faz um tempo, mas nunca terminei. Tinha ele aqui no computador, em algum lugar... enfim, eu lembrei de Poetic Justice porque dia desses assisti o filme sobre a vida de Tupac, aquele Resurrection.
Vendo o filme com um amigo, eu me espantava com a história como se nunca tivesse ouvido nada sobre o moço. Mas me lembro também que anos atrás eu fui a um festival de cinema hip-hop e vi dois filmes sobre Tupac, um deles um documentário chamado Thug Angel que nunca mais consegui encontrar para assistir de novo, coisa de festival. Acho que apaguei da minha cabeça porque a história de Tupac, assim como de muitas outras pessoas, mexem muito comigo e eu não consigo ficar relembrando todo o tempo coisas que ouvi no filme (a cena sobre ter fome e como a música pode expressar a vontade de comer que não passa, dia a após dia, me despedaça inteira), acho que "esqueço" para não sofrer mais, para não pensar na grande parte dos jovens negros que temos em São Paulo, Salvador, New York ou Paris vivendo vidas parecidas.
Aproveito e falo do filme do 50Cent, que se não é dos melhores, recomendo também, mas por causa de algumas cenas. Acho linda a cena de quando ele está quase no fim do filme retirando os pontos da bala na boca e sua mulher fala alguma coisa sobre
quero sentir o seu corpo
Pode parecer bobo, mas gostei da cena. E a cena de sexo entre os dois também não é das piores. Gosto das cenas de quando ele toma os tiros e fazem uma montagem com o dia de seu nascimento, no momento em que ele volta a si com os eletrochoques. A verdade é que apesar de não ser um bom ator, o fato de deixá-lo calado a maior parte do tempo fez com que a gente não o ache tão ruim.
A verdade é que nem a música de Tupac Shakur nem a música de 50Cent me fascinam. Gosto de algumas coisas de Tupac e de quase nada de 50Cent. O que me encantam, na verdade, são os filmes. São as raras oportunidades que tenho para ver, na televisão e no cinema, cenas de amor, de sexo e cotidiano de famílias e pessoas negras.
Ah, e pra terminar o assunto, sim, eu também tenho fitas k-7 com músicas!

7 comentários:

Wellington Marcello disse...

Oi, você pode disponibilizar para download esse filme (Sem Medo no Coração) em português? Está muito difícil encontrar.

Migh Danae. disse...

Oi! Onde você mora?? Tenho só em VHS, posso te emprestar.

Wellington Marcello disse...

Oi, sou do Rio de Janeiro, Tijuca.

Migh Danae. disse...

Tu parece comigo quando quer ver um filme. Poxa, como te emprestar? Nem sei quando vou ao Rj.

Migh Danae. disse...

http://www.opensubtitles.org/pb/subtitles/5007971/poetic-justice-pb
Aqui as legendas, não? Você sabe baixar filmes e por legendas???

Wellington Marcello disse...

Olá!
Encontrei o filme neste site, dublado:
http://www.masterfilmesonlinegratis.info/sem-medo-no-coracao/

Migh Danae. disse...

Pô, Marcelo, que massa, fico feliz por ter achado. Tu é igual a mim, persegue o filme... me conta o que achou quando ver...