Você que me lê, me ajuda a nascer.

quinta-feira, julho 28, 2011

Foto, por Guma.

                                                                                         Por Guma.

Repare bem nessa foto.
Reparou? Mais não digo.


domingo, julho 24, 2011

Carolina, o filme.


Filme: Carolina, de Jeferson De. Brasil, 2003. 15 min.


Classificação: Livre

Documentário com Zezé Motta e Gabrielly de Abreu. Sinopse: Brasil. Final dos anos 50. Carolina de Jesus escreve seu diário. Dentro de seu barraco ela denuncia a fome, o preconceito e a miséria. Publicada, torna-se um sucesso editorial, sendo editada em 13 línguas. Apesar do reconhecimento imediato e explosivo, a “exótica” mulher negra e ex-favelada falece pobre. Passadas algumas décadas, as palavras de Carolina continuam a ser uma denúncia contra a miséria em que se encontram milhões de mulheres negras.

sexta-feira, julho 22, 2011

SEMPRE UM PAPO - Escritores africanos em São Paulo.


SEMPRE UM PAPO

Zetho Cunha Gonçalves, Abdulai Sila e Maria Celestina.
SESC Vila Mariana

Dia(s) 27/07

Quarta, às 20h.

Três escritores africanos lançam seus livros e realizam um debate sobre a literatura infantil, a cultura, lendas e costumes deste continente. O angolano Zetho Cunha Gonçalves apresenta seus livros 'A Caçada Real' e 'Brincando Não Tem Macaco Troglodita' ambos da Matrix Editora; o autor guineense Abdulai Sila, lança 'A Última Tragédia', da Pallas Editora, e Maria Celestina Fernandes, nascida em Lubango, com o livro 'A Árvore dos Gingongos'. Lotação sujeita à capacidade da sala: 131 lugares.

Auditório do SESC Vila Mariana: Rua Pelotas, 141 - Vila Mariana, São Paulo - SP. Cep 04012-000. Telefone: 11 5080-3000. Fax: 11 5539-4201

e-mail: email@vilamariana.sescsp.org.br

quarta-feira, julho 20, 2011

terça-feira, julho 19, 2011

Cozinha Aberta.

Um bom modo de percebermos como se processam as relações raciais no Brasil é a análise dessas fotos a seguir. Essas fotos são da fachada de um restaurante chamado Cozinha Aberta e fica em Lençóis, BA. Prestem atenção nas pessoas que estão no salão e na cozinha:




Fotos de Thaís Silva.

Seminário Educação 2011 - V Jornada Desigualdades Raciais na Educação Brasileira.

Leiam aqui.

animacao.seminario_educaaoO Seminário Educação é uma realização do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Mato Grosso. Em 2011, realiza-se a 19ª Edição, tendo por tema Relações raciais e educação: dez anos de estudos e pesquisas na UFMT. Trata-se de um evento que já adquiriu dimensão nacional, caracterizado como um fórum privilegiado de discussão e intercâmbio entre profissionais da área, estudantes e pesquisadores.  A cada ano, um dos Grupos de Pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Educação tem assumido a Coordenação Geral do Evento. Ao grupo coordenador é atribuída a responsabilidade pela organização das atividades especiais (conferências, painéis, mesas redondas), selecionando temas e respectivos convidados para desenvolvê-las. Em 2011, ao comemorar seus 10 anos de existência, o Grupo de Pesquisa Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Relações Raciais e Educação (Nepre) assume a coordenação do Seminário Educação 2011, tomando como uma das mais sérias atribuições: a transformação das atividades especiais em oportunidade de debate que congregue a todos.O Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Mato Grosso, a partir de sua competência, a educação, quer, através do Seminário Educação 2011, compartilhar com todas as pessoas da comunidade em geral – trabalhador@s da educação, pesquisador@s, intelectuais, artistas, cientistas, técnic@s, militantes dos movimentos sociais, empresári@s, estudantes – a experiência de por em pauta novas formas de educação que possibilitem desconstruir estereótipos e eliminar as desigualdades raciais existentes no interior da educação. Apesar da temática central do evento contemplar as discussões empreendidas em nosso grupo de pesquisa, consideramos de bom alvitre que cada linha de pesquisa do PPGE fique responsável pela organização de mesas redondas e outras atividades que atendam aos desafios acadêmicos e científicos propostos pelas Linhas. Dessa maneira, durante o Seminário Educação 2011 o público presente terá as mais variadas oportunidades de discussão sobre as diferentes temáticas pesquisadas no Programa.
06 de novembro/2011
19h. 30’ – Conferência Inaugural: 
Prof. Dr. Hédio Siva Jr – CEERT (Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades) 



07 de novembro/2011
9h. às 12h. – Mesas-Redondas
 

Currículo e Diferença 
Profa. Dra. Ana Canen (UFRJ)
Profa. Dra. Lea Pinheiro Paixão (UFF)
Profa. Dra. Ozerina Victor de Oliveira (UFMT)

Educação, Gênero e Diversidade 
Profa. Dra. Marília de Carvalho (USP)
Profa. Dra. Maria Elena de Souza (UNIRIO)
Profa. Dra. Daniela Freyre (UFMT) 

Experiências e Significados das Políticas de Ciclos no Ensino Fundamental: Tensões, avanços e responsabilidade social 
Profa. Dra. Andréa Fetzner (UNIRIO)
Prof. Dr. Jefferson Mainardes (UEPG) 
Profa. Ms. Rosa Neide Sandes de Almeida (SEDUC/MT) 
Profa. Dra. Jorcelina Elisabeth Fernandes (UFMT) 

Educação Superior: questões da atualidade
Prof. Dr. Nelson Cardoso Amaral (UFG)
Profa. Dra.Maria de Fátima Costa de Paula (UFF) 
Profa. Dra. Elizeth Gonzaga dos Santos (UNEMAT)

Formação de Professores para a diversidade 
Profa. Dra. Aparecida de Jesus Ferreira, PhD (UEPG) 
Profa. Dra. Maria Lúcia R. Muller (UFMT) 
Prof. Dr. Darci Secchi (UFMT) 
Profa. Dra. Beleni Salete Grando – UNEMAT 

13h. às 14h – Atividades Culturais
14h. às 17h.: Atividades dos GT’s
17h. às 18h.: Exposição de Pôsteres 
17h. às 19h.20’: Oficinas e mini-cursos




08 de novembro/2011
9h. às 12h. – Mesas-Redondas
 

Diálogos sobre o ensino: as contribuições da Didática e da Filosofia 
Profa. Dra. Selma Garrido Pimenta (USP)
Profa. Dra. Sandra Corazza (USP)

Educação e juventudes negras 
Prof. Dr. Paulo Carrano (UFF)
Profa. Mônica Sacramento (Doutoranda/UFF)

África: novas oportunidades, novos desafios*
Prof. Dr. Pio Penna Filho (UNB) 
Prof. Dr. Flávio Sombra Saraiva (UnB)

Resistência negra na escravidão e no pós-abolição* 
Profa. Dra. Maria Helena Machado (USP)
Prof. Dr. Robério Souza (UNEB)

A Educação tecnológica e a implementação da lei 10.639/03 
Prof. Dr. Roberto Carlos da Silva Borges – Programa de Pós-Graduação em Relações Etnicorraciais/CEFET/RJ
Prof. Ms. Willian Silva de Paula – IFMT 
Prof. Leonan Lauro Nunes da Silva/ IFMT

A Mão Afro-brasileira nas Artes 
Emanoel Araujo – (Museu Afrobrasil) – Aguardando confirmação
Gervane de Paula – (Artista Plástico/MT)
Ivan Belém (MISC)

13h. às 14h – Atividades Culturais
14h. às 16h. 30’: Atividades dos GT’s
17h. às 18h.: Exposição de Pôsteres
17h. às 19h.: Oficinas e mini-cursos



09 de novembro/2011

9h. às 12h. – Mesas-Redondas
Relações raciais e linguagem: perspectivas das minorias 
Profa. Dra. Zilá Bernd (UFRGS e Unilasalle)
Profa. Dra. Joana Plaza Pinto (UFG)
Profa. Dra. Candida Soares da Costa (UFMT)

Políticas Afirmativas na Educação 
Prof. Dr. José Jorge de Carvalho (UNB) 
Profa. Dra. Mariluce Bittar (UCDB) 
Prof. Dr. Paulino Cardoso (UDESC) 
Prof. Dr. Wilson Mattos (UNEB) 

Culturas Escolares e Linguagens 
Prof. Dra. Rosa Iavelberg – Faculdade de Educação/USP
Prof. Dr. Luiz Octávio de Lima Camargo (USP) 

Plano Nacional de Implementação da Educação das Relações Etnicorraciais* 
Profa. Dra. Zelia Amador de Deus – UFPA/ABPN
Profa. Dra. Maria Aparecida Silva Bento – CEERT 

Desigualdes raciais na educação brasileira 
Profa. Dra. Moema De Poli Teixeira (ENCE/IBGE) 
Prof. Dr. Rafael Guerreiro Osório (IPEA) 

Famílias negras na escravidão* 
Profa. Dra. Isabel Cristina Ferreira dos Reis (UNEB) 
Prof. Dr. Robert W. Slenes – UNICAMP

A Mão Afro-brasileira nas Artes 
Emanoel Araujo – (Museu Afrobrasil) – Aguardando confirmação
Gervane de Paula – (Artista Plástico/MT) 
Ivan Belém (MISC) 

13h. às 14h – Atividades Culturais
14h. às 17h.: Atividades dos GT’s
17h. às 19h.: Exposição de Pôsteres
17h. às 19h.: Oficinas e mini-cursos

Mostra de experiências pedagógicas na implementação da Lei nº 10.639/03: ocorrerá em espaço 

versátil ao lado do instituto de Educação em horário integral, possibilitando ambiente para 
estabelecimento de intercâmbios. 

Tuíti.

Fiz um twitter, enfim. Amigos e amigas me ensinaram que eu posso continuar sendo Míghian Danae e ter um.
Leiam quando quiserem. O lance é deixar lá registrado muitas frases e ditados populares que eu ouço por aí, principalmente os que eu ouço aqui pela Bahia inteira. Assim, daqui a 100 anos, todo mundo vai saber que a gente tinha uma palavra chamada piriguete.

I Encontro de Cultura Popular - Quilombo Brotas

Fotos, por Thaís Silva.






Eu aí.

segunda-feira, julho 18, 2011

Jeito de Mato.




Quase todas as vezes que encontro uma amiga, toca alguma coisa dessa cantora aí. Decidi então postar uma das poucas músicas que ela gosta muito para não esquecer de muitos de nossos momentos juntas.
Thaís, um cheiro.

quinta-feira, julho 14, 2011

Não posso fingir: acho que sou deveras fiel às minhas paixões. Ontem vi o moço e fiquei toda me bolindo. Não consigo me controlar direito e essa sensação me dá a ideia de que ainda consigo perder o controle. Me pego com medo da paixão avassaladora, mas vou pensar menos e sentir mais vontades. Deixar me deixar.

Afro-Batá.

Eu recomendo Afro-Batá.

Nana mais Sangò.

E eu sinto um fogo
Que não consigo controlar
Nem a minha santa mãezinha
Pode nessa hora me ajudar.

Coragem eu tenho mas vida não sei
Pra aguentar esse amor que quer me embalar
Ele não sabe e eu não saberei
Se um dia eu vou desembolar.

domingo, julho 10, 2011

... mas obrigada por pensar em mim.

FeiJHOada da Nega.

Adoro essa foto.

Dessas coisas,

Recebi um bilhetinho na porta de casa

você é uma fofa, obrigada pelo cuidado que você dispensa a sua vizinhança. É maravilhoso saber que pude e posso conviver com alguém como você


Me emocionei, porque sou boba. Amigo que estava aqui em casa sorriu quando viu meu olho encher d'água. Mas ele nem sabe que eu também tive vontade de encher olho de água quando ele me deu um beijo no rosto, assim, do nada, fora do script. Não sei falar, mas depois de muito tempo sofrendo com palavras feias e amizades ruins, isso tudo me deixou em estado de graça.

Ganhei um presente de pessoas que são especiais para mim, reuni ontem pessoas que também gosto muito e elas se gostaram, o que mais me deixou feliz. Uma delas me disse coisas que eu precisava ouvir. Falou de mim, olhando para mim, de dentro de mim. Me deixou sem palavras, eu adoro que me digam coisas sobre mim, me sinto acarinhada, gostada, amada. Mesmo não sendo só coisas bonitas. Penso que quem faz isso, gosta de mim de verdade. Pra acabar o dia bom, ele me escreveu

você tá me suportando. você tá sempre fazendo isso. te amo

sexta-feira, julho 08, 2011

Case-se comigo.

Diz que me ama?
Casa comigo.

Cravinho.

Meu amigo me ligou pra dizer

ó fia, aproveite o cravinho que você levou, tome antes de sair de casa nesse frio, ele esquenta tudo, viu?

Coisa linda é amizade.

quinta-feira, julho 07, 2011

Uma história de amor.

A moça me contando que tava apaixonada e o moço viajou pra longe e ela ficou três anos esperando. As pessoas enchendo a cabeça dela dizendo que ele tinha outra ela pegou o telefone e terminou tudo. Ele saiu do emprego e foi embora pra perto dela. Ela não sabia o que fazer porque não queria que ele perdesse o emprego, ganhava tão pouco que... mas ele não quis nem saber: não ia perder o amor da vida dele por causa de um emprego. Voltou pra ela, casou, provou que amava.
Ligou pro ex-patrão e perguntou se ainda podia voltar. Ele aceitou. Ela veio com ele. Agora tem um filhinho lindo e são felizes.

Você também acredita (ainda) em amor?

quarta-feira, julho 06, 2011

What is "flapjacks"?


Sabe quando você tem a absoluta certeza que está apaixonada pelo cara certo na hora completamente errada?
Tentei um chorinho pra ver se me aliviava, mas não consegui. Eu ando um pouco desconfiada de mim mesma.  Sem muita paciência de me descobrir. Toda vez que quero reclamar digo "estou cansada".
Não consigo esquecer o moço. Tentei, elevando o pensamento pra um amor eternamente fraternal, mas a verdade é que eu queria mesmo era casar, ter filhos e filhas, morar longe de cidade grande, ter bicho, sentir o mato. Com esse cenário, é difícil esquecer fácil.
E as justificativas são todas injustificáveis e eu sei que lá dentro mora um coração que pulsa. Isso irrita, mas apaixona. Quero não, quero sim.
E ele ouve Dwele, mas, se ele entendesse que
I gotta want you, you gotta want me, we gotta want the best of love
I already want you, you already want me, we gotta love thing, we gotta love thing
I gotta need you, you gotta need me, we gotta want the best of love
I already need you, you already need me, we gotta love thing, we gotta love thing

E, olha aqui:


Music in a lot of ways mimics relationships,
It gets tainted when you bring rules into it
Believe I'm trying to free your mind,
Respect my light, I'll respect yours, and...

Rum.

sábado, julho 02, 2011