Você que me lê, me ajuda a nascer.

segunda-feira, fevereiro 08, 2010

Biblioteca.

Você pode não acreditar, mas todas as minhas amigas negras e amigos também que estudam nas universidades públicas e particulares desse país já foram confundidos com os funcionários das bibliotecas de suas respectivas faculdades. A história mais trágica de todas estas foi quando uma funcionária da biblioteca onde ela era usuária perguntou para uma delas quando ela havia sido contratada, achando que ela era a mais nova funcionária. Se isso não é racismo, eu não sei mais o que é. A simples ideia de que uma pessoa negra não pode fazer outra coisa além de servir parece incomodar demais. Eu vejo isso também quando vejo que a moça que fica na recepção é branca e a menina que limpa a sala é negra. Como se a moça da recepção precisasse saber muito mais coisas sobre a vida que a menina que limpa a sala. Se isso não é racismo, eu não sei mais o que é. Como eu falo com minhas amigas e amigos, a pergunta entre nós quando nos encontramos não é "você já sofreu discriminação racial?", mas sim "qual foi a última?" Quer saber qual foi a última pra mim? Chegando no trabalho, uma mocinha me perguntou se eu tava indo lá pra vaga de faxineira. Se isso não é racismo, eu não sei mais o que é.

3 comentários:

Maria disse...

Segunda,15 de favereiro de 2010

Boa tarde!


Nos atuais jogos de inverno, um casal francês negro emocionou o público e foi o único a ser aplaudido de pé na atuação no gelo.Mas, esse mesmo casal não recebeu uma nota a altura do que apresentou,segundo, o entendido do assunto e que faz o comentário das apresentaçãoes durante o programa.

Taí,para mim "rolou" sim, racismo!


Maria

Bel disse...

Olá Maria, bem observado,

ontem assisti algumas das apresentações, não sou perita para julgar mas achei que o casal francês negro realmente foi muito bom, os 145 pontos foram irrizórios, perto dos passos, ritmo, leveza e criatividade dos movimentos, dois deles que não tinha visto nenhum casal fazer.

Infelizmente o racismo ainda é visível na nossa sociedade.

Migh Danae. disse...

A questão toda é: por que muitas pessoas não gostam desse assunto? Por que não coneguem admitir a questão racial e põem a culpa nos negros, como se fosse coisa de nego o racismo? Como se não fosse um problema social?
Talvez isso tenha a ver com privilégios. Eu mesma não sei se conseguiria me desvencilhar de uma posição privilegiada se descobrisse que tudo que tenho eu só tenho às custas do suor e do sangue de uma população inteira. Deve ser bem duro mesmo.
Mas só o que eu não quero mesmo é piedade barata. Não precisa nem admitir o racismo, mas se pelo menos parassem de dizer que a culpa é do negro e parassem de nos usar para seus programas de caridade fútil, já seria de bom tamanho.
Como já disseram por aí, abandonem-nos.