Você que me lê, me ajuda a nascer.

quarta-feira, junho 24, 2009

Post antigo.

Sinto vontade de escrever quando estou assim, aqui. Já passa de meia-noite, estou sozinha aqui no quarto. Gosto disso. Tenho uma boa sensação, sensação que as coisas vão dando certo, é noite e faz frio e eu sozinha e gostando disso, não tem mais nada pra acontecer de bom, minha mãezinha lá longe agora deve dormir sorrindo, eu penso assim e é melhor que seja tudo verdade. São uma e treze da manhã, Lizz canta qualquer coisa para Mia aqui e eu me deixo ouvir como se fosse para mim também, acho que ela não liga, segue cantando alguma coisa sobre distância e saudade, coisas que eu conheço bem, sei como dói, onde dói. Gosto de ser eu, com todos os problemas de ser eu. Gosto de aprender a ser eu, gosto de me colocar em dúvida e a postos sempre, sempre. Mas não gosto da palavra sempre. Não gosto de me sentir presa. Não gosto de jogar o jogo, embora assuma que é difícil não jogar. Não gosto que me liguem quando estou com saudades – penso que posso resistir, mas você me liga e aí... Não gosto de dar satisfações, nem explicar posts. Vou dormir, por que há dias que você descobre mais de você do que numa semana, mês, isso aí.

4 comentários:

Lílian disse...

Oi, por acaso encontrei seu blog, gostei muito, achei sincero e bonito, e tem mais, moro em Salvador, já morei em Sampa, sei do que está falando! Prazer em conhecê-la, meu nome é Lílian.
lilianmota@globo.com

Migh Danae. disse...

Apareça sempre que puder!
Abraços,

Mjiba disse...

Explicar post....hahaha...Essa menina tira cada coisa da vida...vc é uma fotografia do cotidiano..quando a vida passa distraida e mostra a lingua ou faz uma careta...acho muito boa a sua escrita em forma de crônicas....fotografias das horas inoportunas ..
te amo nigrinha.....
beijocas

Migh Danae. disse...

Nossa, quanto elogio! Casa comigo?