Você que me lê, me ajuda a nascer.

quinta-feira, novembro 06, 2008

Bahia de todos os sambas.

03/11/2008 - 08h10 Sambistas baianos mostram o melhor do ritmo regional no Sesc As informações estão atualizadas até a data acima. Sugerimos contatar o local para confirmar as informações da Folha Online
Riachão volta a São Paulo em shows com sambistas baianos Uma aula de samba -em seus diversos matizes - acontece em São Paulo nos dias 7 e 8 de novembro (sexta-feira e sábado), no Sesc Pompéia (região oeste da capital paulista). Os professores serão quatro importantes sambistas baianos: Riachão, Mariene de Castro, Nelson Rufino e Roberto Mendes, que apresentam as variáveis do gênero da Bahia --partido alto, samba de coco e samba do recôncavo-- no show intitulado "Bahia de Todos os Sambas". Riachão foi o primeiro compositor baiano a ser gravado no Rio de Janeiro após Dorival Caymmi, ainda na década de 50. Suas músicas "Meu Patrão", "Saia Rota" e "Judas Traidor" foram interpretadas por Jackson do Pandeiro. Por anos, entretanto, o nome de Riachão continuou ligado ao "povo do samba", tornando-se mais popular entre outros públicos somente depois de suas composições terem sido gravadas por nomes de peso da MPB, como Caetano Veloso ("Cada Macaco em Seu Galho") e Cássia Eller ("Vá Morar com o Diabo"). Sambista revelação, Mariene de Castro se inspira na música do Recôncavo Baiano Nelson Rufino é um dos principais compositores baianos. Autor da música "Verdade", que se tornou um clássico na voz de Zeca Pagodinho, Rufino já fez parcerias com Jorge Aragão, Martinho da Vila, Noca da Portela, Zé Luiz do Império, dentre muitos outros. Tem dois discos solos gravados: "A Verdade de Nelson Rufino" (2002) e "Cadê Meu Amor" (2004). Tanto o compositor Roberto Mendes quanto a novata Mariene de Castro criam seus trabalhos musicais a partir de pesquisas dos ritmos populares tipicamente baianos. Mendes, que dedica sua carreira à pesquisa e à prática da chula do Recôncavo, ritmo característico de sua região, já foi gravado e cantou ao lado de Caetano Veloso, Maria Bethânia, Gal Costa, Margareth Menezes e Gilberto Gil. Mariene de Castro, cantora da nova geração baiana, recebeu prêmio de melhor disco regional no Prêmio TIM de Música 2005, com o seu primeiro trabalho intitulado "Abre Caminho" (2004). O disco é resultado de intensa pesquisa musical da cultura popular, das canções do sertão e do Recôncavo Baiano. Choperia Sesc Pompéia - r. Clélia, 93, Pompéia, região oeste, São Paulo, SP. Tel.: 0/xx/11/3871-7700. Sex. (7) e sáb. (8).: 21h. 800 lugares. Ingr.: de R$ 4 a R$ 16. Classificação etária: 18 anos. http://www.sescsp.org.br/

Extraído de www.guiadafolha.com.br/shows/ult10052u462291.shtml

2 comentários:

gabi disse...

show de mariene é mesmo um deleite, uma aula de sensações. há mais ou menos um ano eu estive em um, ela ainda grávida, vestida de amarelo, girando na renda. ai, começa a chover e ela começa a cantar "eu vim de ilha de maré, minha senhora...". rapaz, quem tava (na area do parque da cidade, num sei se vc conhece) foi ao delírio. lindo, lindo, lindo.

Migh Danae. disse...

Oxi, menina, ela é linda por demais!
Mas Riachão também arrasou!
Mas... como tu chegou aqui?