Você que me lê, me ajuda a nascer.

quarta-feira, agosto 27, 2008

Para onde vai a educação?

Reclamem comigo, mas essa coisa de ensinar criança a ser peão de obra e empregada doméstica não é comigo. Ler pra quê? Ler pra entender do jeito que eles e elas querem a novela das oito e o horóscopo da semana, eu não aceito. Ferrero agoniza, Paulo Freire se remexe no túmulo, ouvindo pretensas professoras professando que discutir que rumo vamos tomar ensinando a língua culta e perpetuando a exclusão não vai levar a nada e que o que eles querem (eles, que estão lá em cima é que dizem e desdizem e a gente tem que aceitar passivamente) é o que a gente tem que fazer. Minha vontade é gritar: Professoras de Educação Básica, uni-vos! Por que eu ado-rei quando um aluno meu virou para mim e disse, depois que uma professora prometeu pagar uma excursão para conhecer a fábrica da Vigor (eca!): eu sei o que ela quer, quer comprar minha obediência com oito reais. mas eu não aceito isso Colonização mental, eu não aceito isso.

2 comentários:

Fernando disse...

Apoiada companheira!!!!
rsrs

Realmente precisamos fazer isso.

Muito bom o seu blog.

bjs

Fernando
fepessoal@yahoo.com.br

Migh Danae. disse...

Brigadinhaaaa!
Cheiro,