Você que me lê, me ajuda a nascer.

quarta-feira, junho 18, 2008

Escritoras.

Escritoras. Ladras de palavras alheias. Guarde bem as suas quando eu estiver passando. Como quem não quer nada, vou roubá-las todas e usar como e quando quiser, meu bel prazer. Muito cuidado comigo. Olhos atentos e abertos. Ouvidos prontos e presentes.

2 comentários:

juliocosta disse...

Oi Mig, td bom?
Li muitas coisas na sua página, umas interessantes, outras como vc me falou, desabafos, ou direcionadas a pessoas (essas não li por inteiro). Mas o bom é que pude lhe conhecer um pouco melhor, o seu jeito sensível em relação as nuances da vida, vejo como extremamente relevante. Mas o ponto q me espanta é sua característica, ás vezes, muito racional um tanto metódica, depois lhe explico com calma.
A conversa com os idosos, sobre a construção de Brasília, me remeteu as minhas pesquisa de história, histórias vivas vista de pontos de vista distintos, mas ao mesmo tempo complementares.
Bjos ... Júlio

Migh Danae. disse...

Tu é realmente muito observador!
Eu me acho muuuito metódica e cartesiana em tantas coisas! Falo todo os dias para mim mesma que quero quebrar isso aqui dentro da minha cabeça! Será bom conversar com alguém que conseguiu ler isso em mim!
Mas tu pode ler tudo, tudinho, por que as pessoas aqui não tem nome! Mesmo as que estão endereçadas, são públicas, estão aqui para serem xeretadas, todas as palavras, todas.
Você é um doce também!
A gente se fala,