Você que me lê, me ajuda a nascer.

sexta-feira, novembro 30, 2007

Simples assim.

Estou com péssimas idéias de títulos. Aliás, demoro mais ali em cima do que aqui embaixo. Normalmente aqui escrevo de uma tacada, voltando só para aparar arestas e arrumar ortografias, gosto de escrever assim na bucha, pá-pum, voltei às cadernetas, por que eu estou aposentando a internet em casa, isso me deixa feliz, por um lado lerei todos os livros e verei todos os filmes que estão na fila para o final de 2007 acabar lindo, limpo. Por outro lado, me assusto com a idéia de não ter algumas informações a tempo, ainda não sei lidar com isso, e com a falta de algumas pessoas que sempre me aparecem na minha caixa em horários malucos, mas que fazer, a internet tem seu preço, e por enquanto não quero pagá-lo. Literal, literato da palavra. Tenho várias cadernetas, para várias coisas, anoto tudo, tudo. Anoto em guardanapo de bar, aliás, é onde eu mais gosto de escrever; estou tristinha por que me escreveram você é um doce num papelzito e eu perdi, meu coração ferido não quer perder mais nada, calma, respira fundo me disseram, você quer que eu ponha Edith Piaf pra tocar, eu disse não, não quero que você saia daqui de perto de mim, então vem, vamos dormir abraçado ali na cama, vem Estou tentando me acalmar, mas o amor tem pressa de acontecer aqui dentro, sei que a queda será vertiginosamente deliciosa, me apaixonarei e não estou preocupada com isso, expliquei para ele que amar faz bem pra mim, que apaixonar-me me faz bem pra vida, ele me disse você não tem 27 anos, e sorriu, e quando ele sorri as coisas ao redor se iluminam, aqui dentro aquece, engraçado como eu sou tão solta e fico sem jeito de olhar pra ele que é tão autêntico, que diz coisas que de tão simples ficam tão tão bonitas como sua cor é linda ou gosto do jeito como você fala, apaixonar faz bem e dessa vez, se não posso muito com ele, queria de novo no cinema poder pegar na sua mão, ele suspira e sorri nas horas em que eu tenho vontade de fazer as mesmas coisas, ele apareceu e se sumir tudo bem, agora eu sei que ele existe e já me disse coisas que valem a pena continuar vivendo. Aliás, é a primeira vez que escrevo tão mal coisas que aconteceram com o meu coraçãozito, essa foi a primeira vez que eu disse tudo que queria dizer antes de escrever aqui, a primeira vez que ouvi tanta coisa bonita sem precisão de serem ditas, o amor tem dessas coisas, não nos preparamos para sorrir e ele vem e inunda a terça-feira, eu não preciso do moço e nem ele de mim, talvez, vá saber, talvez por isso seja tão bonito, é só a vontade de estar ali e mais nada que faz o resto do mundo girar. Respiro fundo

3 comentários:

Estela disse...

Que lindo. Boa sorte, anjo.

Migh Danae. disse...

Torcida é sempre bom. De tu então, ave maria.

Migh Danae. disse...

Bichada.