Você que me lê, me ajuda a nascer.

sexta-feira, julho 20, 2007

Depois que o conheci, fica cada vez mais difícil resistir às proibições, convenções, tentações. Mas vou dormir cedo, lavo o rosto, amanhã, me parece, será mais quente, eu vou estar longe, e ele, acompanhado. Tanto faz. Não ia durar nada mesmo.

9 comentários:

Anônimo disse...

Errei de novo... Obrigado, fiquei comovido...

Migh Danae. disse...

Errou de novo?
Como assim?
Esse � o post... mas � s�rio o comovido?

Anônimo disse...

Te agradeci em cima. É sério o comovido.

Migh Danae. disse...

Normalmente as pessoas ficam emocionadas.
Acho que foi por isso que tu chamou minha atenção...

Anônimo disse...

Eu me comovi: de um instantâneo tão fugaz ganhar uma menção perpétua, e tão querida, mesmo que no universo cibernético

Migh Danae. disse...

Não daria pra ser em outro lugar, mas te juro que foi especial pra mim.
Na verdade, bem mais especial que um monte de coisas que já me aconteceram.
Não por acaso.
Eu poderia estar em qualquer lugar naquela noite, eu poderia ter sentado na ponta da mesa, e nunca teria conhecido Ângela... se isso não merece um post, nada mais merece.
A minha vida é feita dessas pequenas coisas. Acredito que não sou a primeira que te diz isso sobre você, né?

Anônimo disse...

Para mim, Ângela, sem dúvida, és a pioneira. E veja só o tamanho descontrole que temos sobre os desdobramentos de nossa vida. Basta um sorriso inocente, basta uma conversa vagabunda, basta uma noite friorenta, basta uma despedida mal-ajambrada...

Migh Danae. disse...

Eu olhei pra tu e já sabia de tudo.
Sou tão velha em me conhecer que quando entrei ali e você sentado eu já tinha te escolhido.
É uma pena que...
Foi engraçado, divertido, pelo menos.
E vai ficar na memória.

Migh Danae. disse...

aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa