Você que me lê, me ajuda a nascer.

segunda-feira, março 26, 2007

Frases.

Humpf. Frase do dia: Pior do que não tem coragem de viver, oh, pior mesmo é aquele que nem coragem pra se matar tem. Viver no limbo é a grande merda dessa vida. Ou sai da fossa, ou dá um tiro na cabeça. Eu sou má que nem uma pica-pá.

domingo, março 25, 2007

Foi ou não foi?

Sabia que eu te amo em romeno é "te iubescu?" Pois sim. E eles falam "da" quando querem dizer "sim" ou "pois é". Coisas. E a Joss Stone, que usa lenço no microfone igual à Maria Betânia? Aha.

sexta-feira, março 23, 2007

Ela.

Fala então aquele que escrevinha sobre a beleza, Pascal Bruckner: Com aparência de Betty Boop - com seus pomos salientes, sua boca polpuda e suas formas generosas-, Scarlett Johansson desafia todos os modelos de beleza. (...) Se fosse só bonita, atrairia o que a beleza suscita, em geral: fascinação e inveja. Mas, justamente, ela desarma a agressividade com uma aparência bem neutra. Em seus filmes, no começo não prestamos atenção nela, mas depois a loirinha se impóe, invade a tela. Ela tem essa capaticade indicativa das verdadeiras personalidades: a discrição. Nada de espetacular, só um interior que irradia pouco a pouco e acaba por perturbar. Se fosse preciso caracterizá-la, eu diria o seguinte: ela oscila sempre no limite entre beleza e insignificância, vulgaridade e distinção, maturidade e juventude. Às vezes, seu rosto se apaga, para renascer luminoso, destruidor. É um caleidoscópio vertiginoso de todas as figuras de mulher: vamp, criança, menina, pin-up, lolita, intelectual, passando de uma a outra com piruetas que cortam a respiração. Uma mulher que pode ser todas as mulheres numa única, e que as declina sem esforço aparente. Sempre outra, algumas vezes irreconhecível, adquirindo uma capacidade de transformação que beira o feitiço. Seus defeitos contribuem para seu encanto, constituindo outros fatores de multiplicaão. Sabendo que o pudor é o melhor alimento da fantasia, ela evita de se despir diante das câmeras. Tem inclusive habilidade de conseguir, de diretores tidos como difíceis, que eles compensem sua anatomia explosiva com um certo ponto de partida intelectual. Aí, falou e disse.

quinta-feira, março 22, 2007

Valentina de Crepax.

Se engana quem pensa que Valentina não é feminista. Não entendem nadica de feminismo, não conhecem Valentina nem Crepax, enfim, nem deveriam vir no meu blog.



Ah, achei a declaração para a Scarlett. Escrevo amanhã! Demaaaais. Numa revista L'Oficciel que peguei no HSBC Belas Artes, lá está, já no meio das revistas para recorte na minha sala de aula, do nada pego a revista para mostrar pra todo mundo como é a Carolina Rodrigues sem maquiagem andando no Ibirapuera (cara de menininha feliz que já usou uma vez na vida aparelho dentário, ehe), e li a matéria, lembrei que prometi escrever assim que achasse.

Você viria mulher de novo ao mundo, se pudesse escolher? Se viesse de novo, quer dizer? Ou você acredita mesmo nisso?

terça-feira, março 20, 2007

Mamãe, tou aprendendo a ser cruel.

Não sei se é a TPM, mas prefiro que continue assim. Não consigo mais engolir nem girino, ah como eu queria encontrar exnamorados, chatos e chatas que me fizeram mal, só pra dizer tudo que acho agora, ou como eu queria que isso me pegasse de cheio antes, pra não ter mais papas na língua nenhuma. Sei lá. Fico me procurando pra ver se assim tem um pouco de mim, ainda é estranho reclamar do que não gosto, mas faz um bem, tento ver se estou pegando pesado ou falei demais, mas enfim, quem mexeu comigo também deve ter falado alguma besteira, e foi quem começou, então eu peço absolvição, tá tudo em paz.

Embalo de rede.

Olha só, Thiago de Mello fala de um fazer amor tão gostoso que: O nosso amor só se acaba se for para começar. Te perdes longe de mim, para poder me encontrar. Todo fim sabe o começo. Na fundura do teu peito dorme a clave do milagre cujo segredo mereço. Sozinho mais te proclamo a pessoa preferida. Asa de garça, pendão no vento, estrela da vida. Que te cante a paz no peito. Não é benção para mim, que perto estou já do fim. Te quero tanto, que tanto dentro de ti me perdi. Só por sonhar que erga voô De pássaro prisioneiro a luz que lateja em ti. Embalo de Rede, Thiago de Mello. Campo de Milagres. Bonito, não? Thiago pode falar de amor, de paz, de sorriso, Thiago é só palavra verdade, dura e oca, mas cheia e próspera, eu me deleito nele, deleite total e puro, é daqueles que tu lê e fica poetizando, pensando que poderia escrever qualquer coisa, e sempre mais. Queria ter rede pra me embalar, mas o sono vem e ainda estou sozinha. Tem dias que a solidão pega e te agarra, amarra que não vai embora, ando e fico sozinha, para quem? Eu preciso aprender a ser só, já dizia o Tim Maia Racional, mas a verdade é que morar sozinha dá muito trabalho, e eu não quero ter trabalho, por que eu não nasci para trabalho, eu não nasci pra sofrer. Chegarei lá, afinal. Lá aonde, cara-pálida?

domingo, março 18, 2007

Maria Antonieta.

A cara da Kirsten Dunst é demais. Acho que ela só nasceu para fazer esse papel e essas caras. Tem cara de virgem suicida e cara de Maria Antonieta de Sofia Coppola. E na hora que apareceu o all star meio azul velho, só eu ri no cinema. Estarei ficando louca? O que é conhecimento? Você sabe? Aprendendo a viver sozinha. Dói no começo, mas dizem que depois a gente acostuma. É verdade?

sexta-feira, março 16, 2007

Mãe, eu quero ser Scarlett Johanson.

Li em algum lugar um grande elogio à Scarlett, e queria transcrevê-lo aqui, mas não acho. Achei que tinha lido na Bravo, na Revista da Folha, mas em vão. Saco, não acho. Se alguém leu também, me digam onde foi. Foi simplesmente a maneira mais bonita que eu já vi alguém se dirigir à uma mulher. Daria tudo para alguém falar de mim daquele jeito. Mas, shit, não encontro a bendita da declaração de amor!

quinta-feira, março 15, 2007

Meu canário só faz piu-piu.

Quando mandam falar sobre mim, eu penso em dizer "ah, quer saber quem sou eu?", e então tenho vontade de responder, eu sou aquela mulherzinha esquisita que aparece na página 47 do romance do Camus, O Estrangeiro, folheando revistas e fazendo anotações, compenetrada, que conta as moedas e não dá gorjeta, sai apressada, mesmo não sabendo para onde vai.

Que dias, que semana. Mais pessoas sacanas, mais pessoas insensíveis no mundo, e eu ali triste por que elas existem e enfeiam a minha vida bacana, que coisa mais chata. E hoje eu irritada que estou daria de tudo para precisar ligar em algum banco, só pra ter que falar um monte de asneiras, mas não tinha nada nem ninguém pra reclamar, a não ser com atendentes da OCA. Prrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr.

A saudade me consome. O Pepu tentou me ensinar a não sentir saudades. Eu não quis aprender, achei demodê. Demodê é sofrer, minha gente, é sofrer.

A vida nesses dias só tem graça por que você sabe que vai chegar em casa, tomar um banho, ligar o computador, e encontrar uma pessoa como o Mario. Alguém como ele é o único que pode salvar o seu dia. A sua semana. E mais não digo, vai parecer coisa de menina apaixonada.

Ma', esse post é seu. Olha ele aí, rindo, só pra variar:

domingo, março 11, 2007

Tatuagem.

Engraçado. Quando fui fazer minha primeira tatuagem, tudo parecia tão artesanal, era legal pôr uma tatuagem, era divertido, emocionante, doía, tudo junto. E demoraaaava, não era coisa para apressados. Agora não tem mais a mínima graça, as pessoas usam anestesia então não tem mais nenhum sentido perguntar "doeu", e mesmo quem não usa fica com aquela cara de "eu só fiz por que sabia que não ia doer", isso é chato. As pessoas marcam hora, que progresso, e em no máximo meia hora você sai do estúdio mudado, é assim. Mas é chato. Chato por que as coisas têm que ter um gostinho, e tatuagem sem dor não tem graça nenhuma, por isso inventem o que inventar, todas as minhas tatuagens serão com muita dor, para continuar tendo sentido. É como um filho, uma coisa boa que acontece, uma graça, vem com umas dores, mas no final é bonito. Não que eu ache que temos que sofrer na vida, a dor da tatuagem ou de parir não é dor, tem lá suas coisas de bonito, mas isso é coisa minha e discorde se quiser. Me embaralhei, deve ser por que ainda está doendo, ehe. Tem gays que não gostam de mulheres. Tem gays amigos de mulheres. E tem os que invejam as mulheres, peito, cólicas e sangue. E tem aqueles que não estão nem aí. Prefiro esses. Gostei do filme Pecados Íntimos, mas sabe qual é o problema dos ditos filmes americanos alternativos? É que depois de um tempo, todos os alternativos começam a ficar iguais, mesmo roteiro e falas, então deixa de ser alternativo. Até que venha alguém e quebre tudo de novo, vamos ficar assistindo coisas parecidas com Beleza Americana. Não que eu não tenha gostado, só estou dizendo que Little Children vai na mesma linha, sem deixar de ser bom. A cena da menininha afagando a cabeça da mãe aterrorizada, aquilo é emblemático, o título no Brasil virou "Pecados Íntimos", que pode até ter a ver também, mas Little Children diz muito sobre isso que não sabemos no que nos transformamos depois da adolescência. Pecados Íntimos, todo mundo os tem, eu fiquei aqui elencando os meus quando saí do cinema, me dizendo que não gosto de ter segredos, mas eu tenho, é estranho isso, querer ser um livro aberto, me preocupar com julgamentos, eu realmente me ocupo com isso, não devia, mas acontece. E enfim alguém fora de mim me disse que eu devo ficar calma, que estou sozinha por que não estou amando e ponto. E que controlar quando não se ama não é nada demais. Obrigadas, Betty Milan. Tá bom, vou viajar.

quarta-feira, março 07, 2007

Nomes e coisas.

Se o Picasso se chamava Pablo Diego José Francisco de Paulo Juan Nepomuceno Maria de Los Remédios Crispin Crispianiano Santíssima Trindad Ruiz y Picasso por que eu não posso ter quatro nomes? Se o número de nomes faz juz à inteligência do cara, ah, eu quero ter mais e mais nomes, ehe. Adoro Picasso, quem sabia? Ah, e eu adoro crianças também. O que elas falam, o que elas me fazem ouvir todos os dias me ilumina o dia. Como hoje, quando tentamos parar o tempo e não conseguimos, e então fizemos uma máquina do tempo, e elas queriam viajar o mundo todo com a máquina, essas coisas. Nomes e coisas.

domingo, março 04, 2007

Um bom lugar.

O moço ali da padaria nem pode imaginar que tenho sonhos tórridos com ele, cenas de sexo e coisa e tal. Mas eu só queria alguém que me levasse pra passear, pegasse na minha mão. Sexo virtual, babe, não funciona, e pode ser alguém com a cara do Deniro quando era novinho e o Scorcese já gostava dele, não tem jeito, não funciona. Eu bem que tentei, e foi por você. Decidi mudar coisas por aqui. Não preciso conhecer mais ninguém, meus amigos e minhas amigas já me fazem muito feliz, então resolvi parar de me encher o saco, conhecendo gente que não sabe passar de duas frases bem-feitas, ou frases feitas. Desisti. Não estou, não sou pessimista, só tenho que aprender a otimizar meu tempo, ehe, otimizar meu tempo que anda tão curto, encurto ainda mais dando ouvidos e vozes a gentes não tão interessantes. Pronto, disse. Não sei, não quero descansar.

sexta-feira, março 02, 2007

Tanta gente.

Eu queria fazer um post, um pra cada um, pra cada uma pessoa que eu encontro vida afora e me faz ter mais vontade de viver. Como hoje quando olhei pro Júlio querendo tanto que ele crescesse e fosse feliz, lindo e inteligente pra sempre como é hoje, quando com aqueles olhinhos apertados me sorri e me pede colo, o mundo inteiro é dele, vai ser ainda mais, eu acredito nisso. E eu e ele subindo a ladeira, no sol a pino, e ele ia me contando do Bob Esponja e de como ele era legal, fica fácil sonhar quando você ouve uma criança falando, a vida é mais colorida e as horas passam passando. Então descubro que não posso, algumas coisas acontecem rápido demais e quando vejo, já foi e eu não escrevi nenhuma linha sequer, sensações todas e o cansaço mais uma vez me venceu e eu não escrevi. Como agora também, quando só tem uma pessoa que me faz ficar acordada, que me faz esperar aqui, sentada, eu sei que daqui a pouco passa de novo (e aquele meu amigo ri de mim quando eu estou apaixonada, eu estou sempre apaixonada), mas agora é por ele, é um cara legal que gosta de conversar e sorrir, faz-me sentir bonita e inteligente, educada e sensível, sou perfeita por alguma horas, estou no céu, meu bem você me dá água na boca. Sei que ele nem sabe, e nem posso dizer que estou assim, ele vai descobrir que eu me apaixono toda semana e vai pensar que é mentira, mas é tudo verdade, incrivelmente verdade. Indo dormir.