Você que me lê, me ajuda a nascer.

quinta-feira, outubro 05, 2006

Sulla riva del fiume c'è sempre un posto per due.

Eu não entendo. Pessoas vêm aqui e me dizem que eu deveria escrever alguma coisa. Mas de verdade. E isso aqui é de verdade não? Aliás, o que é verdade? Foi pensando nisso que montei minha frase (vencedora) do concurso que premiará a melhor frase com uma credencial para a 30ª Mostra de Cinema. Em tempos de Mostra, não penso, não leio, não faço mais nada. Só abro bem os olhos, tomando cuidado para que a realidade não me assuste tanto, ali, assim, na tela. E como sempre diz Scorcese, "é só o meu jeito de ver as coisas, sou eu". Eu acredito pacas nisso. Acredito na força individual, e não que a força de todas/os nós juntos/as tenha sumido. Mas gosto de pequenas histórias, cada pessoa que vem e me fala de uma tragédia shakeasperiana, eu absorvo isso, e vira post. Tenho sono, mas não queria ter. Estou lendo um livro que fala sobre a nova configuração da Europa. Demétrio Magnolli me iluminou a vida quando escreveu: "Em se tratando de geografia física, a Europa nem é um continente." Olhando bem, não é que é mesmo? Hoje fazem dois anos que comecei a sorrir, não só no fim do mês, mas durante também. Agora sim, tá na hora de pôr os olhinhos na caixinha. Era assim que a minha mãe me mandava dormir. Mas isso tem muito tempo e eu não quero falar sobre isso. Ah, fui na expo do MAM e nem achei que ia gostar tanto. Tenho certeza que depois que eu visitar a Bienal, vou retirar o que disse sobre Arte Contemporânea... juro que vou tentar, mas com um tema desse "Como viver junto?", extraído de obra do Barthes... Lagnado, minha querida, você tá é me comprando...

3 comentários:

Anônimo disse...

ciao, sono giupy71
hai messo la mia frase nel tuo blog.
Che onore.
Ciao mia complementare!

Migh Danae. disse...

Come ho promesso... vedi come sono la tua anima gemella???

Anônimo disse...

la mia anima gemella?
ma troppo lontana. Peccato, potevmo essere una grande coppia.
Ciao principessa.
Giupy71