Você que me lê, me ajuda a nascer.

terça-feira, agosto 01, 2006

Não é fácil.

Ser normal não é fácil. Tenho uma colega que depois de ter sido largada pelo marido três anos depois do casamento com duas filhas para criar, inventa uma história absurda de que está pra casar. Todo ano a mesma história. Ela sempre conta a mesma coisa, e a gente acredita. Tem visões, essas coisas. Absurdo? Também é absurdo aceitar que se está só. A gente sempre aumenta, inventa coisas. Comecei a olhar pra mim mesma e ver quantas vezes eu tinha mentido por aí, só pra constar que alguém gostava de mim e eu estava bem. Já fiz isso. Ehe.

4 comentários:

Estela Carvalho disse...

e o nosso amor a gente inventa,
pra se distrair

bem por aí, não?

Daiza disse...

Oi querida! Não esqueci de ti nã... foram somente dias de chateação mas já passou. O tempo virou por aqui e a viagem pro Brasil foi a fanc..... depois te mando mail contando o babado. queria escrever hj mas fui na casa de uma brasileira fazer as unhas e cheguei quase meia-noite! entrei na net pra postar uma bobeira e jah estou indo. ci sentiamo domani! espero que esteja td bem. Beijo enoooooooooooooorme

Ailton Junior disse...

Pior que isso é só o Jornal Nacional

Grace G. disse...

Vale tudo mesmo, amigo invisível, amor imaginário, o escambal!!!Pior, pior é a solidão, maninha...A saudade, o medo, desilusão, depressão e cara feia.