Você que me lê, me ajuda a nascer.

segunda-feira, julho 31, 2006

Tranquila e calma.

Ele disse que eu tenho cheiro de mar. Que ficar do meu lado é descansar numa casinha do lado de uma praiazinha tranquila, por que pra sempre eu vou ter cheiro de sal e mar. Disse também que eu sou uma boba, que dou risada de trânsito e finjo que meu sapato é uma arma pra matar mosquito. Bum, no meio do trânsito. Diz que eu não consigo ficar séria e aposta comigo, e adora ver que eu sempre perco, e eu adoro perder só pra vê-lo dizer, tá vendo, eu disse, eu disse. Disse que eu sou a mulher certa na medida certa e que aquele vestido preto que eu tenho é lindo, e que pra quê que eu compro uma faixa de renda pra colocar na cintura se eu já sou bonita, pra quê isso, ninguém olha pra faixa, bobagem. E é quando eu me olho no espelho com o cabelo mais bagunçado do mundo que eu sei que ele daria quase tudo que tem pra me ver agora imitando uma cantora gospel no rádio e aí eu sei que eu sou a mulher mais feliz do mundo. Que todo mundo tem problemas eu sei, que os casais brigam e se desentendem eu sei, mas o que eu mais sei é que acima e abaixo de todas as coisas, quando ele me diz você me faz falta, é de verdade. Eu só tenho que me decidir. Agora é ainda mais difícil, depois que ele não sai de mim e meu cheiro de mar o acompanha onde ele for, Roma, Savona ou Settimo.

Um comentário:

Grace G. disse...

Hã...vc cantou pra ele assim: Sapore de sale, sapore de mare! E ele gamou, né maninha? Uma praça qualquer no meio do nada, ás vezes até assusta mas, é só dar um rolêzinho q as coisas mudam, naum tem jeito.