Você que me lê, me ajuda a nascer.

sexta-feira, julho 28, 2006

Não tem explicação, não tem, não tem.

Eu até tento aqui às vezes, mas é quase impossível com essas palavrinhas de nada expressar o que eu sinto quando saio do banheiro e vejo o Giulio me esperando de bracinhos abertos, só pra me dizer eu te amo tanto, e vir querendo me dar um beijo. Eu me emocionei de verdade, e fiquei com os olhos rasinhos. O mais besta disso tudo é que a gente passa um tempão da nossa vida querendo que um monte de gente ame a gente, e quando é assim, incondicional, às vezes a gente não dá valor, a gente não percebe. E nem deixa se abraçar, não ouve a voz, passa batido. Por isso, a partir de hoje, eu decidi deixar que as pessoas que me amem se aproximem de mim de bracinhos abertos. Não que eu não fizesse isso, mas talvez eu estivesse mais preocupada em mostrar pra quem eu amo o quanto eu amo. Vou dedicar esse post pra você que me ama mas que nunca vem no meu blog, só que me liga em qualquer lugar do mundo pra dizer amo tu, que com o sotaque mais lindo do mundo me chama de pretinha, sem que eu nem te peça nada. Ando sensível, e até me inscrevi no clube da TPM (www.clubedatpm.com.br), só de graça. Você me acha boba? Então tá: faça um exercício comigo, escreva num papel sem pensar muito quais são as pessoas em quem você confia, depois escreva quantas vezes você confiou em outras tantas assim de cara. Depois lembre quantas vezes confiaram em você assim de cara. Vamos lá, me ajude, quero saber se eu sou a única boba no mundo que acredito em tudo isso, nas pessoas e tudo o mais. Sim, eu sei que não sou a única pessoa que acredita quando o namorado diz que aquela camiseta de mulher no banheiro dele é de uma amiga que passou por lá bêbada dias atrás. Não sou a única que não pergunta quem é no telefone depois que ele chama a mocinha de gracinha. Eu assumo, acredito e nem te ligo. Mas e você, o que faz? Rói a unha, chama a atenção, reclama baixinho? Me contem as suas histórias, por que as minhas, invariavelmente, acabam com alguém me dizendo que eu sou sim, uma boba.

2 comentários:

Ailton Junior disse...

Vixi, minhas histórias terminam

E começam

E vão

em vão

Pq devem continuar me achando tolo

Migh Danae. disse...

Boboolhandoboboolhandoboboolhando.