Você que me lê, me ajuda a nascer.

quinta-feira, março 30, 2006

Bofetada.

Muita realidade pra minha cabeça. Tem uns amigos que me fazem esse favor, de me trazer de volta. É um caminho looongo. Mas eu sempre volto. E aí é que eu me pergunto, se não vale a pena ser meio louca também, vale a pena um pouco de tudo. Eu estava aqui endoidecendo e não sabia ainda se era justo. Comigo, com outras pessoas. Sabe o que eu deveria fazer? Passar o 21 de abril na praia, em Salvador. Mas eu devo mesmo ser muito boba pra fazer isso. Se você tivesse um Giulio na sua vida, ia entender o que eu estou falando quando escrevo aqui felicidade. Ele deve ter menos de 100 cm, mas é o amor da minha vida. Acorda e já me olha com uns olhões enormes, do tipo: Você chegou, tá aí... e sorri um sorrisinho contido, me chama pra perto e me dá beijo de borboleta. Se eu insisto em ficar longe, ele me pisca o olho, contando segredos. Eu não tenho o que fazer, só sorrir. Mas ainda é pouco, então eu chego perto e abraço forte aquela coisinha pequena que no fim das contas passa a ser um dos motivos da minha felicidade. Estou cheia de problemas, mas eu não consigo ficar triste. Estou quase indo ao terapeuta, perguntar se é grave ficar rindo à toa mesmo cheia de coisas para fazer na vida, decisões a tomar. Deve ser normal, mas não no Brasil.

quarta-feira, março 29, 2006

Masturbação.

Dizem que as mulheres conseguem fazer um monte de coisa ao mesmo tempo. Você já tentou? Masturbação. Escrever uma resenha. Ouvir Caetano Veloso. Mandar mensagem no celular. ...

Coisas que...

Eu continuo aqui, até mais que antes. Mesmo que nem possa. Trabalho, curso, curso, cinema, amiga. É normal amar demais? É normal? Amar demais, existe? Bah, acho que nem tenho que me preocupar. Eu deito e durmo e não fico roendo unha antes do sono chegar. Acho que isso é o que importa. As pessoas que me conhecem há pouco devem imaginar que o casamento começa a ser um problema que assola a minha vida. Tenho falado muito disso, perguntado o que as pessoas acham e descoberto o quanto eu sou chata e antiquada. Quando tem chuva e trovão no céu eu fico ainda mais descontrol e parto para umas idéias meio bizarras, como largar tudo e viver um grande amor. Ainda bem que chuva passa. Estou com 25 anos. Quero, eu acho, ter filhos. E filhas. Não, não. Quero ter filho e filha. Quero adotar um. Acho que quero essas coisas, mas decidi estabelecer um teto de uma idade ideal para que isso aconteça. Que romântico. Que mentira. Ah, eu adoro Maitena.

sábado, março 25, 2006

quarta-feira, março 15, 2006

Carta de mentira.

Aham, eu recebi mesmo. come disse una volta Tom Waits: I never learned the melody, till I needed the song. Ecco, una carta d'amore per te, in napoletano (originale, dagli Almamegretta) e nella mia traduzione. Volevo metterla sul tuo blog, ma non sono riuscito. MarÒ comme sÌ bella e nun ‘o ssaje nun saccio bbuono chello ca me faje amaro È o ddoce ca me fa’ ‘mbriaca’ guardo, sperisco e nun pozzo tucca’ e tu cammenanno te ne vaje ll’uocchie acalate ma nun triemme maje si’ na criatura mmiezo ‘e liune ma dint’ ‘a vita nun tiene padrune ah che bella voce ca ll’anima se squaglia quanno cante ah che bella voce nun saccio si so’ diavolo o so’ santo saccio sulo ca quanno te sento sento dint’ ‘a ll’anema ‘o turmento nun saccio manco cchiÙ addÒ stongo si ‘mparaviso o all’inferno ‘a vita mia sta dint’ ‘e mmane toje ‘o core tuojo dint’ ‘e ccanzone meje cchiÙ passa ‘o tiempo e cchiÙ ‘o ssaccio ca i’ senza ‘e te nun putesse campa’ ‘e stelle nun se ponno tucca’ me aggio ‘mparato ‘e ppuÒ sulo guarda’ e si na stella canta pe’ ammore rimmane ‘ncielo mille anne e nun more. Madonna come sei bella e non lo sai, Non so bene quello che mi fai. Amaro e’ il dolce che mi fa ubriacare Io guardo, ammiro e non posso toccare... e tu camminando te ne vai, con gli occhi bassi ma non tremi mai. Sei una creatura In mezzo ai leoni, ma nella vita non Tieni padroni. Ah che bella voce, che l’anima si Scioglie mentre canti... ah che bella voce, Non so se sono diavolo o son santo. So solo che quando ti sento, sento Dentro all’anima un tormento... non so Neanche piu’ dove sto, se in paradiso O all’inferno. La vita mia sta nelle mani tue, il Cuore tuo dentro le canzoni mie, piu’ Passa il tempo e piu’ gia’ lo so che Senza di te non potrei vivere. Le stelle non si possono toccare, ho Imparato le puoi solo guardare. E se Una stella canta per amore rimane in cielo 1000 anni e non muore.

segunda-feira, março 06, 2006

Não há título provável.

Corro pra lá e pra cá e agora o Burke deu pra ficar me olhando meio assim insinuando que eu não vou conseguir lê-lo e que não vou entender a Nova História. Aha, bobo, eu já faço Nova História dos tempos. Ehehehehe. Comecei a estudar de novo, mas alô povão agora é sério, eu sempre estudei, mas voltei a frequentar aulas e isso me faz um bem enorme. Ô se faz. E nesses últimos dias escrevi umas cinco cartas, fazia tempo que eu não tinha tempo, e eu nem tinha tanto tempo assim, mas arrumei tempo, sabe como é que é? Tudo que eu preciso é organizar meu tempo, ainda não sei fazer isso, mas estou adorando experimentar. Ainda posso me dar ao luxo de experimentar. Que luxo. Ando descrente e me surpreendo. Não descrente de amor e amor pra dar, dar, dar, mas torço o nariz e quase a cara inteira quando me dizem algo muito sério. No fundo, eu sempre acho que é mais um que me prega uma peça. Preciso mesmo arrumar um namorado? Não. Me disseram que eu sou ótima sozinha. Apesar de querer cuidar de todo mundo que eu amo, eu estou bem assim. Demorei pra entender que eu posso ser feliz sozinha, as pessoas chegam em você e fazem tsc, tsc quando você é bonita, inteligente e está sozinha. Quer saber? Tsctsc pra vocês também. Uma das minhas melhores amigas fez aniversário no sábado. E eu te amo. Nada mais a declarar, por que estou longe e não sei como fazer mais isso direito, tou ficando velha e rabugenta e sem tempo pra entender as coisas, por exemplo, por que é que as pessoas que eu amo ficam longe, ou sou eu que fico, ainda não sei direito como acontece isso, só sei que tem umas bem longe, lá depois do oceano, e que eu queria só pegar no colo, ou receber colo, e tem outras logo ali, que eu queria ensinar como se faz um macarrão, como eu tempero o meu feijão, mas eu também não posso. E eu não entendo a vida e digo que ela é injusta, mesmo que eu seja feliz, eu chamo a vida de injusta e fico zangada. Queria poder ter 4 ouvidos e 2 mp3 players pra ouvir simultaneamente tudo o que eu acabo encontrando de Odetta, Paxton, Woody e todo esse povo. Queria que o mundo que eu vivo fossem duas caixa de alto-falantes enormes, pra quando eu saísse apressada e esquecesse das pilhas, continuasse ouvindo Woody me cantar "This Land is our Land..." que droga.

domingo, março 05, 2006

Carta de amor.

Estive sem tempo no último dia 03, data em que esse blog completou um ano. Falei em publicar alguma coisa que me enviassem, digo, alguma coisa exclusiva para o blog. Recebi alguns escritos, mas achei melhor publicar uma carta que recebi na minha caixa postal essa semana. Não é bem uma carta. Talvez um bilhete. Veio escrita num papel de pão, ainda sujo de manteiga e cheirando a cigarro barato. Esse moço... o moço que escreveu isso, acredito que ele esteja deveras chateado comigo e quis me pregar uma peça. Prego também uma peça nele, publicando essa declaração idiota. Absurda? Não, ridícula. Sim, por que todas as cartas de amor são ridículas. E o resto... bem, o resto, vocês e o Pessoa já sabem. Sua safada, Sim, você não tem nome. Não tem direito de ter mais nome, depois de tudo que me fez. Sim, eu sei que te fiz chorar e toda essa porcaria que uma mulher apaixonada sente, mas o pior de tudo é que agora eu estou apaixonado. Quer dizer, ainda não sei direito o que é isso, mas eu te penso e quero que seja você a minha vizinha de casa. Aquela gostosa por quem eu toco uma quase toda a noite. Isso não quer dizer que não te pense. Você é muito sacana, por me fazer gostar de você bem mais do que você merece. E eu sei que você vai debochar e dizer que sou eu quem não te mereço, e eu sei que eu vou ter que concordar com você. Que grande merda tudo isso que eu estou dizendo. Eu só queria que você soubesse que porra, eu não queria que você soubesse de nada disso. ___________________________________________________________________

quinta-feira, março 02, 2006

Chá de cozinha.

CHÁ DE COZINHA PRA MULHER SOZINHA. 06 pratos fundos DURALEX – incolor; 06 pratos rasos DURALEX – incolor; 06 pratos pequenos DURALEX – incolor; 06 xícaras pequenas (incolor ou branca); 06 xícaras médias (incolor ou branca); 06 copos para água (incolor e/ou com detalhes em branco); 06 copos para água (incolor e/ou com detalhes em branco); 02 bandejas plásticas médias; 02 bandejas plásticas grandes; 02 bandejas plásticas pequenas; 01 Porta-pão; 01 Porta-detergente; 01 Porta-talher; 01 escorredor de pratos; 01 escorredor de arroz e/ou macarrão; 01 peneira pequena (branca); 01 peneira média (branca); 01 peneira grande (branca); 02 descansos de mesa; 02 descansos de mesa; 01 jogo americano (04 peças); 01 jarra de água (branca ou incolor); 01 jarra de água (branca ou incolor); 01 jogo de tapetes para banheiro (azul); 01 tapete pequeno para porta; 02 vasilhas plásticas pequenas (branca, azul ou incolor); 02 vasilhas plásticas médias (branca, azul ou incolor); 02 vasilhas plásticas grandes (branca, azul ou incolor); 01 escumadeira (branca); 01 colher para arroz (branca); 01 abridor de latas; 01 colher de madeira; 01 espremedor de alho; 01 espremedor de batatas; 01 espremedor de frutas; 01 pegador de massas; 01 rodo para massa; 01 saleiro (branco); 01 Separador de claras (branco); 01 tábua para alimentos; 01 jogo de panelas (7 peças); 01 liquidificador (branco); 01 batedeira (branco); Almofadas; 10 panos de prato; Baleiro com tampa branca (R$ 8,00) Batedor Carne Madeira (R$4,90) Clips pra Lacrar Kaplas (R$4,90) Porta Neutralizador para Odor Geladeira http://www.camicado.com.br/ Olha o que eu ando fazendo. Se você quiser participar, me manda um mail. migdanae@terra.com.br