Você que me lê, me ajuda a nascer.

sexta-feira, janeiro 27, 2006

Encontros. Não, não. Desencontros.

Uffa... quanto tempo. Porca troia. Eheheheheheeh. Nesse exato momento, estou com dor de cabeça aqui nesse cibercafé do lado da Igreja da Sé em São Paulo. Fez 452 anos. É, fez. Eu tive o grande desprazer de ver bem de pertinho o ilustre José Serra. Meu deus, como é feio. Feio. Feio. De doer. Ah, o Chalita também, o secretário de Educação. Parece um ex-menudo vindo dos cafundó dos Judas. Feio do mesmo modo, só quem em outro gênero e grau. Nesse dia, dia de debate e palco para tais políticos armarem seus panis et circenses, eu realmente voltei pra casa deprimida. Faz tempo que só olho pro meu umbigo. Escrevo, leio, vejo, sinto, faço, mas é o meu umbigo que vem primeiro. Então, tá na hora de descobrir algum jeito de olhar pra outros umbigos de novo. Me sentir cheia de vida, disposta. Animada em conhecer dores alheias, ajudar, ou não ajudar, mas querer saber, se envolver. Caligaris falou alguma coisa sobre se sentir parte, importante, fazer dos sonhos parte da história real. Legal isso. Acho que é mais ou menos isso que eu quero, é sim. Eu estou experimentando coisas e sensações de pura... de pura.... bem, de pura. Sim, de pura. Sempre quis escrever isso, mas odeio tantos adjetivos. Só sei que é forte. E puro. Fiz uma amiga que nem posso dizer o que ela significa agora pra mim. Por que pode parecer empolgação, pode parecer passageiro. Mas é puro, e forte mesmo. Eu da minha parte vou fazer de tudo pra ser boa menina e tê-la sempre ao meu lado. Quando ela me abraça eu fico boba, quando diz que me adora e me faz dar risada eu vôo um pouquinho mais longe. E isso basta, pra que eu possa voltar pra SP mais alegre, bronzeada e feliz. A gente só precisa de um segredo, pra virar pacto de amor pra sempre. Sou amante de Pedro Juan, minha gente, mas não esqueci o Buk. Mas ele sempre foi meu avozinho. Nunca me deu o tesão que Pedrito me dá. O Pedrito me faz louca, me olhando naquela fotinha da orelha dos livros, e eu fico aqui tendo sonhos eróticos com aquela careca e acreditando que ele realmente aos 15 anos era um Príncipe lindo. Eu sou boba? Talvez, mas se for assim, a vida também e eu não tou nem aí com isso.

4 comentários:

Patricia/80s disse...

Eu tô c/ preguiça de olhar p/ o umbigo dos outros.
Beijo amiga.

Migh Danae. disse...

Acho que tem que ser bem muié pra assumir isso. Tinha que ser tu.
Besos,

Anônimo disse...

Mími, seu umbigo é lindo!!! Ehy pazza era só uma metáfora pra dizer que aos poucos meu egoísmo ingrato e minha possessividade insegura vislumbra a possibilidade de se dissipar com a tua ajuda, com as tuas palavras e sobretudo com seu carinho, com cada reflexão revolucionária que compomos, com cada alopração que trocamos, rimos, choramos e dividimos nesta estrada frenética e fantástica cheia de doces surpresas que se chama VIDA. Carpe Diem Nega, amo tu. Um mega abraço da tua cara Lambruscchetta do Caramba!!!

Migh Danae. disse...

Você é minha pazza preferida. No fim das contas, você é minha única pazza.