Você que me lê, me ajuda a nascer.

sábado, janeiro 14, 2006

Desistir.

Quando? Acho que eu tenho que saber isso, a hora de desistir de vez de alguma coisa, de jogar a toalha. Nem Roberto Carlos cantaria o amor depois de tanta besteira como as que eu fico inventando pra mim. Ele propôs, levou café na cama, cantou pra tudo que é tipo de mulher, fez o tal papel ridículo. Mas eu me submeto a acreditar. Isso acho que nem ele mais faz. Nem além do horizonte, no século 21, existe um lugar bonito e tranquilo pra gente se amar. Entendeu, moça?

2 comentários:

Anônimo disse...

boujour je suis un ami de france ton blog est tres sympa bravo continue

Migh Danae. disse...

Eu não tenho amigos na França, mon ami. Mas que coisa, acabei de pendurar aqui perto da tela uma das minhas fotos no Charles de Gaulle.