Você que me lê, me ajuda a nascer.

domingo, outubro 23, 2005

Sumida.

Eu? Sim, sim. Mas continuo querendo ser a Masina, gente. E é culpa da 29º Mostra que eu não dou as caras por aqui. Vocês sabem, eu sou viciada nisso que chamam de uma das sete maravilhas do mundo. Me pediram em casamento. E daí? Eu posso dizer não, né? Mas foi a primeira vez que eu quis aceitar. Juro. Passou, passou. Já conversaram com mãe sobre sentimentos? É muito bom, eu recomendo. Eu faço isso direto, e ela na maior calma me atende e me diz que "na hora, eu vou saber...", "vai chegar..." Tranquilidade de quem tem a vida toda pela frente e a praia à 10 km de casa. Ah, gostaria de avisar à todos/as que nunca mais falaram comigo ao vivo e em P&B que o meu sotaque está pouco a pouco tomando conta de novo da minha fala. Total. Mesmo. Isso é pra aqueles que dizem que eu não tenho sotaque. É tudo mentira. Eu tenho sim, e posso provar, aqui ó. Oxente, meu rei, meu pai, velho, mainha, lenhou-se, nenhuma, nada pra ninguém, tudo isso eu falo, e falo mesmo, com aquela típica voz cansada da família Caymmi. Tenho vergonha disso não, tenho é saudade. Ave Maria, que saudade. Até aperta o peito e faz ficar cansada. Eu preciso é ouvir mais e sempre, pra não perder o ritmo e ser engolida pelos erres. Cansei.

Um comentário:

Estela Carvalho disse...

Perde não seu sotaque, bixim... é muito bonitinho... :-)
Beijoca
Estelita