Você que me lê, me ajuda a nascer.

sábado, outubro 01, 2005

Eu quero ser Giulietta Masina.

Esqueçam o que eu disse sobre ser Pagu ou Nicoleta Braschi tempos atrás. Eu queria mesmo é ser Giulieta Masina. Sim, sim. Olha só o que o amorzinho dela escreveu um dia qualquer (ninguém menos que Fellini, mon amour): "Eu acredito em Giulieta Masina e não preciso de nenhuma religião. Na minha vida ela ocupa esse lugar". Fiquei repetindo essa frase enquanto via a exposição sobre Fellini, tinha acabado de ver um filme que falava também sobre amor, sobre amores. De um lado, um casal maduro, bastava olhar pro modo como ela se aconchegava no peito dele pra dizer que ali havia amor, sentimento calmo. Paz. Do outro lado, o cara que fazia de tudo pra esconder que na verdade, por detrás do sem-número de relacionamentos que colecionava, o sexo estava em primeiro lugar. E no meio disso tudo... os protagonistas. Quer dizer, não bem no meio, por que tem uma outra história acontecendo nos arredores da trama. Enduring Love, Amor pra Sempre o nome do filme. Engraçado, o diretor é o mesmo de Notthing Hill, Roger Michell, mas não se deixem levar pela primeira impressão. Esse filme tem qualidade, bons diálogos e bons silêncios. É forte, muito forte. É simples, muito simples. Aí o Joe, o cara da trama toda, tenta explicar o amor. É biológico? Tem que ter significado? Só vale a pena se tiver significado? Mas ao mesmo tempo, enquanto tenta explicar o amor, ele tem um relacionamento bonito, ele vive, ele ama, ele trabalha, ama, divide, vive. E pronto. Mas peraí... eu tava falando da Giullieta... sim, com uma frase daquela, se explica por que ela morreu cinco meses depois do amado. Muito melhor do que qualquer flor depois de uma mancha de batom, com uma frase dessas o cabra ganha passaporte pra vida eterna sem escalas. Vi uma exposição do Titi Freak (Dênis, saudades mil). Vi uma exposição do Litchenstein. O cara é bom. Pop Art no talo. Frase da semana: Eu sou feliz. Isso é ruim pra você?

3 comentários:

Anônimo disse...

Migh, muito critivo gostei bastante da ate para ser um livro, gostei do formato da pagina da diagramação.

Ass: Marcelo

Midi disse...

ai, ai amiga que falta vc me faz!!!
cada vez que eu leio uma postagem sua penso o quanto eu estou pedendo aqui nessa merda. Vc realmente tem estado muito encantada pelo amor acredito que o amor não seja biológico apesar de não ter embasamento para me posicionar e de nem ter assistido o filme, parece ser bom. curte todas essas coisas legais por nós duas enquanto eu fico aqui no cú do mundo! Midi.

Migh Danae. disse...

Eu muita saudade de tu, trocaria essas coisas pra ver seu sorriso. Por umas duas semanas, vai.