Você que me lê, me ajuda a nascer.

quinta-feira, setembro 22, 2005

Google.

Eu sei que parece bobo, mas eu te procurei pelo Google. Quase rima, né? Ontem vi um desenho na exposição sobre Hiroshima muito sentida. Uma pessoa com a bocona aberta, chovia. Roupa meio rasgada, rosto de dor, expressão quase certa. Nome do desenho: Bebendo a Chuva Negra. Eu achei forte demais, o desenho lembrava qualquer coisa de Edward Munch e seu quadro O Grito. Fui ver Segunda Chance (p.s. o nome em original, bem a ver), com Laura Linney, que eu gosto muito (os últimos filmes que vi dela foram A Vida de David Gale e Kinsey - Vamos falar de sexo). É engraçado como a gente REALMENTE não conhece ninguém, mas principalmente, é engraçado e chega a ser estranho como a gente NÃO SE CONHECE. E como ficamos a maior parte das nossas vidas protelando coisas, não nos dando segundas chances, esquecendo de ver onde NÓS erramos, e não os outros. Minha melhor amiga que mora há 2 quadras da minha casa vai embora de mim. Eu gosto dela, vou sentir saudades de sentar no sofá da casa dela e esperar ela me dizer que tem sopa pronta, sopa que eu adoro, apesar de adorar também a Mafalda. Ela vai embora, justo agora que estamos assim tão ligadas, coisa de mulher que é amiga, sem nenhuma pieguice. Bonito ver como ela cresceu, e me ensina que subestimar é sempre um grande defeito. Como ela tomou decisões e teve atitudes que eu mesma sempre achei prafrentex e que só eu tomaria, como foi calma e tranquila em momentos que a maioria das mulheres que eu conheço começaria uma briga, logo ela, leonina que sempre me ensina a mandar tomar naquele lugar sempre que alguém ousa me desafiar. Me ensinou que ser amiga é justamente isso, não precisar se preocupar em ser aquela menina que tu é no trabalho, na fila do banco, você pode relaxar e ser quem você é, quem você deseja ser, pra melhor. E eu que penso que sei muita coisa... mas eu juro que não vou citar Sócrates. Prefiro Lacan. Sim, eu gosto de Lacan. Preciso estudar mais, é bem verdade, mas eu gosto do cara, em linhas gerais o que ele fala sobre desejo pra mim é muito mais real do que falava Freud. É quase certo que em dezembro, lá pelo dia 26, eu esteja assistindo um filme num dos maiores cinemas da Europa, aquele projetado pelo George Lucas. E você, vai estar aonde?

2 comentários:

Mauricio disse...

KINSEY! Eu sabia que já tinha visto aquela mulher!!

Dia 26 eu estarei trabalhando...

Anônimo disse...

Oi amiga eu aposto que deve ter sido uma dedicatória e tanto pois quando a gente está com o dono da nossa cabeça:"quero tanto te ver chegar quero saciar minha sede milhões de vezes, milhões de vezes, eu digo e ela não acredita..."Midi.