Você que me lê, me ajuda a nascer.

sexta-feira, agosto 05, 2005

Bigode.

Aprendi agora que "bigodar" é dar problema. Então, meu filho, vamos lá, problemas eu tenho de penca pra dixavar aqui. Mas não vou ficar me estendendo, porque a minha tensão pré-menstrual não permite. Eu estou triste por conta de uns problemas de família. A família minha e eu quero cuidar, proteger, e quero me sentir cuidada. O que eu faço quando eu quero colo e quero também fazer carinho, o que eu faço quando as coisas estão indo na contramão, o que eu faço? Escrevo, escrevo, escrevo. E canto uma canção. Só eu ouço, só eu canto. Na minha cabeça tem um monte de som, mas é só a minha voz que faz diferença. Nem a notícia que eu vou ganhar um iPodi mês que vem me deixou mais alegre. Não hoje. Mas eu guardei ela pra outro dia, me lembrarei e ficarei animada daqui um tempo, eu sei. Tenho que dizer que fui à Pinacoteca ver uma exposição de fotos sobre Havana. Ah, Havana... depois do Pedro Juan, Havana pra mim tem outra cor. Bonita exposição, mas vista de fora por dois paulistanos que passaram (só) 12 dias em Havana. O que é verdade? Qual é a verdade, quero dizer. As mulheres de Havana, as mulheres nuas de Havana. A Pinacoteca é linda, as exposições muito legais. Gostei do passeio. E das companhias. Vi de novo aquele amigo de longe que mora na mesma cidade. A Fantástica Fábrica de Chocolate é isso mesmo. Fantástica. Ponto. Eu ontem ouvi de alguém que me ensinou a não ter saudade que pensava muito em mim. Que bonito! Principalmente porque eu nem ele nem precisava dizer isso preu gostar dele ou achar que ele é especial. E ele não ia ganhar nada além de um sorriso meu com essa frase, mas mesmo assim disse. Tá vendo porque que eu fico com a pureza e a resposta das crianças?

Um comentário:

grace disse...

Pô sou da família e naum vi a Fantástica Fábrica, nem o seu iPod e colo tá difícil mesmo é tanto perrengue e a distância punnk e a saudade dói é pior que dor de corno, pode crê.